quinta-feira, julho 03, 2008

Kids...





Filhos do silêncio e da amargura
da loucura, do desprezo e da ignorância
tantas vezes frutos amargos
da inocência e da aventura

Pedaços de lama vestidos de vergonha
caras lavadas somente nas lágrimas
de uma mão estendida e esfomeada
que não se atreve a tocar ninguém
como se fora doença ou peçonha
que se escuda do insulto e do desdém

Olhares vivos e ferventes
disfarçados de cansaços e de ausências
sorrisos ricos mas mendigos
de um pingo de leite ou de simples pena
carícia em tons de pão onde o sonho é a manteiga
e o "LÓ" seria o paraíso

Filhos de ninguém e nem do mundo
para quem o cartão se chama leito
e no peito guardam o q têm de mais seu e mais perfeito
um pedaço de músculo que alguém lhes deu
e que luta sem salário e sem refreios
pelo nome que teima em não perder
pois que lho deram de graça: "coração"
e não a "pedra" com que se começa a parecer

Se estes filhos tivessem mães e regaços
em vez de pedras de chão por abraços
Saberiam talvez ainda assim a cor da fome
mas saberiam sempre que eram gente
em vez de ratos...


Cris ( Ecos...)

10 comentários:

Espada disse...

Forma dura e realista de se ver algumas crianças, pois o mundo infelizmente é cruel para muitos meninos de rua... E nem todos foram abençoados com um lar e um bom ambiente familiar… Gostei do poema…

Nilson Barcelli disse...

Sempre achei que escrevias bem.
Mas neste poema... abusaste... excedeste-te. Bravo cara amiga, o que escreveste é poesia de exceleência.
Parabéns pela criatividade poética que aqui revelas sem margem para dúvidas, fazendo de ti uma Poetisa (com P grande...).

Bfs, beijinhos.

f@ disse...

Filhos e basta para tudo ser sonho e realidade... mas quando se os seres humanos não estendem os braços e se dão...
bonito poema bj das nuvens

Ana disse...

Reconheço a tua forma de escolher palavras. Tinha saudades de as ler aqui.
Um beijo com amizade.

Bill Stein Husenbar disse...

Gostei imenso...

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Cris disse...

Espada,
Não é fácil ver uma criança sofrer... e, infelizmente, às vezes n é só por falta de comida...

beijinho

Cris disse...

Nilson Barcelli,
Já tinha saudades de te encontrar neste cantinho...
deixas-me sempre sem fala qd me deixas um comentário... obrigada, amigo.

beijinho

Cris disse...

f@,
Se calhar, qd vemos um menino de rua, pouco mais podemos fazer para além de dar uma esmola, um sorriso e, se possível algo q se pareça com uma refeição...
E às vezes até achamos q n temos tempo para nada disso...
Enfim... somos humanos...

Obrigada pela tua visita:)
beijinho

Cris disse...

Ana,
Tentarei agora estar mais presente, minha querida.
Manda-me o teu nº por mail para podermos combinar o cafezinho qd cá vieres. Não te esqueças.
Beijinho grande

Cris disse...

Bill Stein Husenbar,
Obrigada :)
Visitei o teu blog... e qt mistério!.. Irei lá com mais tempo.

Beijito