domingo, agosto 10, 2008

Prometi-te as minhas mãos nas tuas...

E prometo-te as minhas mãos nas tuas... e os meus beijos sem lágrimas enquanto o teu corpo for permanência... e a tua voz um leve respirar!...

Prometi-te as minhas mãos nas tuas, mãe
e os meus beijos sem lágrimas
enquanto o teu corpo fosse permanência
e a tua voz um leve respirar

E tu soubeste dizer-me adeus tão de mansinho
e adormecer de uma forma tão serena
como um sol que ao fim do dia se deita aos poucos... muito devagarinho
acabando por esmorecer nos braços do mar

Agora que o teu corpo já se chama ausência
não me peças beijos sem lágrimas
porque eu não tos consigo dar
mas prometo-te que mesmo com o coração a doer
vou sempre saber olhar o céu e sorrir
como forma de te abraçar

um beijo, mãe
até sempre




6 comentários:

legivel disse...

... é assim que se escreve um poema ao amor eterno.

Beijinhos.

f@ disse...

É um sorriso nas mãos, nos olhos no, no coração ... pleno desse sentido imenso de tal amor sem ausência ...
bonita a imagem e o poema
beijinhos das nuvens

Filipa disse...

Eu amo-te.

E apesar de nunca o ter desmonstrado, talvez por pensar que ela estaria sempre aqui, eu gostava muito dela.


Um beijo, mama.
(es a melhor)

~pi disse...

lindo...

... e tanto!




beijo



~

batista disse...

quanta ternura, quanto amor no teu versejar, Amiga!

um beijo fraterno e saudoso.

Cris disse...

beijos doces... e um obrigada muito grande, a todos!

beijo tão grande, filhota!