sexta-feira, outubro 29, 2004

O Segredo

Olá, meu amor ,
Imagina que, hoje, me apeteceu escrever-te, sentindo as saudades que se sentem aos quinze anos, quando o mundo parece acabar se nos tirarem cinco minutos ao amor... É engraçado, como o tempo nos transforma e nos ensina que a vida é tão diferente dos nossos sonhos de adolescentes, e, mesmo assim, nos polvilha os lábios de sorrisos que nos adoçam os momentos em que nos misturamos num abraço que ultrapassa todas as linhas do horizonte da ternura e nos faz transpirar amor por cada pedaço do que somos! Não tenho saudades das pressas mirabulantes dos quinze anos... prefiro amar-te com a certeza de que cada momento é o mais importante das nossas vidas, e saber-te em mim mesmo quando a ausência toma o lugar dos nossos regaços... gosto de recordar-te nas voltas soltas do fumo de um cigarro que se eleva suavemente no éter e se dissolve na pureza do ar, deixando-me nas narinas o perfume da saudade... Amo-te sem pressas e, sei agora, ser esse o segredo que me faz gostar de sentir o aroma da maresia ao largo das dunas e o prazer do abraço de uma brisa quente nos ombros nus, ou a doçura do cheiro das camarinhas nos beijos que me apetecem quando não estás... é esse o segredo que me ensina a ouvir o teu amor debaixo das copas dos pinheiros ou nas margens de um qualquer rio que corra calmamente para o mar! É por isso que não tenho saudades do tempo em que o amor sabia a pressa, com medo de acabar. Hoje sei que não acaba porque nada pode tirar de mim o que já vivi e o que já senti... e assim aprendi a amar-te sem pressas...
Cris (Do jardim da minha alma)

4 comentários:

Alexandre Sousa disse...

Alguém disse que as palavras beijam. Ao ler este textodoi essa a sensação que tive e um desejo forte que, obviamente, dominei: o de escrever a resposta. Mas não o vou fazer. Tenho medo de quebrar o encanto.

Alexandre Sousa disse...

Voltei para dizer uma coisa. Hoje tive uma reunião com uma amiga comum: Anuxa. Falamos de blogs (que ela desconhece) e falei de ti. Disse-me que te conhecia. Bolas, como o mundo é pequenino.

Cris disse...

Gostaria muito de ler essa resposta e, tenho a certeza, que n quebraria o encanto, antes o enriqueceria...
Qt à Anuxa, n consigo chegar lá por esse nome... será a Analu, que escreve coisas maravilhosas? Agora deixaste-me curiosa...
:)

Alexandre Sousa disse...

Ana Lucena, de seu nome. Falou-me que organizaste ai em Aveiro, um encontro de senhoras do chat. Diz-te alguma coisa? A tua decoração foi, acho eu, roupa e utensilios de pescadores. Se calhar ainda é uma outra Cris, embora professora de de Aveiro...