quarta-feira, outubro 27, 2004

Eu prometo que não faço barulho...

Eu prometo que não faço barulho, que não choro alto e que sequer movo os braços para secar as lágrimas... Deixa-me apenas sentar aqui um pouco ao pé de ti e olhar a lua com a cabeça no teu ombro...Aqui, sei que ninguém terá medo de me deixar pousar a saudade e as lembranças no seu ombro... Aqui sei que haverá uma mão estendida e um sorriso verdadeiro... Aqui sei que o espaço é eterno e que as flores não abrem apenas se viradas para o sol...MAs eu prometo que não faço barulho, que não acordo as cigarras sequer, porque apenas apenas quero ouvir o cantar do mar...O chão está tão fresco... O ar tão calma... E eu sei que se estender as minhas mãos encontro as tuas à minha espera...Apetece-me, hoje, que as tuas mãos se prolonguem num abraço em que eu caiba inteirinha e me sinta tão pequenina que não consiga aperceber-me que há sítios tão diferentes deste. Posso? Dás-me os teus braços? Dás-me um pouco de ti?Eu prometo que não faço barulho... Sussurro-te apenas o sal do mar e saberás logo que apenas quero um beijo temperado de algas e, na tua pele, o aroma das areias e das ervas bravias das dunas... ou o sabor doce das camarinhas...E neste chão de erva fresca saberei nos teus olhos a transparência dos teus sonhos e escutarei o silêncio dos teus passos brancos, de anjo, a caminhar no adentrar do meu corpo e no invadir da minha alma... Secam-se-me as gotas de orvalho que se formaram nos meus olhos... Secam-nas as palavras que me dizes e a esperança que lhes encontro...Empresta-me um pouco o teu peito... Quero ouvir as batidas que me dão vida!Crispa os teus dedos na erva suada... Abafa nos meus lábios os murmúrios e os segredos... Dá-me um beijo!
Cris (Dos meus lábios nasce a noite)

2 comentários:

Alexandre Sousa disse...

Timidamente bato à porta, não para pedir uma chícara de açucar, mas para agradecer as palavras simpáticas, a visita demorada e por me ter indicado o caminho para este espaço onde a beleza da prosa se transforma em pura melodia.
E por outra razão: estranha, mas interessante. Criei, assim a modos que em segredo um blog de nome Cartas Perdidas (cartasperdidas.blogs.sapo.pt)e uma das personagens que criei... não, vai até lá e descobre. Bjs.

Cris disse...

Obrigada pelas tuas palavras e por me teres ensinado o caminho para as tuas "CArtas Perdidas". Já lá fui, e adorei!