segunda-feira, julho 24, 2006

Retrato de meias-vidas...



Os sonhos boiam nas margens das algas como se alvos anjos de cabelos ao vento...
Enegrecidas, nas vestes e na alma, as mulheres estagnam nas areias, de olhares perdidos nas vagas soltas do mar. Já não esperam vidas, já não esperam sortes... sabem que apenas restos poderão resgatar...
No turbilhão das marés há corpos inertes e inchados, pedaços de vida acabada a meio do que havia para continuar e, nas margens do mundo, há lágrimas e gemidos negros nos rostos de quem não sabe como continuar a amar...
E há olhares despidos de brilho e ombros despidos de braços e lábios despidos de beijos, e, ao longe, no horizonte... nem sequer se vislumbra o luar...
Ficarão, no branco dos areais, os restos das pegadas das mulheres que entregaram metade de si ao mar...

Cris ( Paisagens que não sei pintar)

25 comentários:

maresia_mar disse...

Olá Cris,
também gostei de «tu».. o mar, sempre o eterno mar.. lindo o teu texto... Boa semana e bjhs com sabor a maresia

AS disse...

O mar, que tanto nos fascina, também nos amrgura...

Lindo texto Cris...

Um beijo grande de saudade...

Anónimo disse...

:-)

Princess Fabiana disse...

cá estou eu novamente, espero que não se importe... mas tenho ke lhe dizer ke o seu blog esta lindo...
parabens e continue...

Ana Cardoso

sotavento disse...

Vim agradecer e retribuir a visita e gostei das pegadas deixadas na areia!... :)

ConchitaMachado disse...

Grande sintonia entre as imagens e Palavras.Parabéns!

Vou mais feliz por ter permanecido aqui um Tempo...
Claro que hei-de voltar.
Um tempinho não dá para entrar em todos os pormenores.
Seja Bem-Vinda/o a meu canto.

Uma boa semana.
Beijinho
ConchitaMachado

sonhos sonhados disse...

Cris

bela mensagem,
belo luar,
belo mar.

gostei muito.

jinhux létinha.

Apenas, o cidadão disse...

uma paisagem muito negra.
espero que as próximas pinturas sejam mais alegres.

Lela disse...

"E há olhares despidos de brilho e ombros despidos de braços e lábios despidos de beijos..." Que lindo... muito lindo! O poema todo é belo.
Gosto do poema que não se bastando em si nos carrega na viagem em nossas emoções que dele surgiram. Assim foi este seu.

Belzebu disse...

Excelentes imagens que as palavras suscitam!

Saudações!

ConchitaMachado disse...

E... o brilho deste MAR chegou!...
Fico feliz.

Deixo um beijinho carinhoso
ConchitaMachado

batista filho disse...

Primeira vez que aporto por cá... e já me pego com um gosto de sal...

... às vezes o doloroso se reveste de beleza, presente caso, através das palavras - igualmente dolorosas -, as tuas.

Deixo o meu abraço fraterno.

Alexandre Sousa disse...

Não é por nada, mas já tinha saudades deste cantinho.

Cris disse...

maresia-mar,

obrigada po esta brisa do mar que por aqui deixaste...

beijinho

Cris disse...

frog,

é verdade, amigo! Tu que também conheces o mar tão de perto, sabes bem do que falei neste texto.
Nunca lá perdi ninguém, mas vi algumas vezes, e bem de perto, a angústia de quem perdeu os seus!

beijinho

Cris disse...

anónimo,

:) para ti também!

Cris disse...

pricesa fabiana,

Claro que não me importo e gosto muito q venhas por cá!

Volta sempre!

beijinho

Cris disse...

sotavento,

Estas são umas pegadas sofridas, mas também as há tão felizes!...

beijinho e obrigada pela visita

Cris disse...

conchita machado,

Obrigada pelas tuas palavras. Claro q irei ao teu canto e com muito gosto!

Um beijinho

Cris disse...

sonhos-sonhados
Que bom ver-te por aqui, létinha!

Tudo o que tem a ver com o mar me seduz... e lá vou escrevendo sobre ele...

beijinho

Cris disse...

apenas, o cidadão,

realmente é uma paisagem negra... mas n irreal!
mas também já pintei paisagens bem alegres... estão por aí!

beijinho

Cris disse...

lela,

sorrio-te... :)

beijinho

Cris disse...

Belzebu,

Ora temos por aqui um diabinho?...
espero que tenha gostado aqui do paraíso e que volte mais vezes!

:)beijinho

Cris disse...

batista-filho,

espero pois que aporte todas as vezes que lhe apeteça descansar um pouco... e é muito benvindo!

beijinho

Cris disse...

alexandre sousa,

E eu... as saudades que já tinha de te sentir por cá!....

beijinho